O Sindicato dos Professores da Zona Sul (SPZS) contestou hoje, dia 15 de Maio, o processo de municipalização da educação no concelho do Crato, através de um protesto durante a recepção ao ministro Nuno Crato no âmbito da sua visita à localidade alentejana.

O SPZS critica “o secretismo que tem rodeado” o processo de municipalização da educação no concelho, tendo entregue “um documento” ao governante exigindo “em nome dos professores a suspensão do referido processo e um debate público sobre o mesmo”.
Ao SPZS foi assegurado pelo presidente da Câmara Municipal, Correia da Luz, que “não se trata de um processo negociado às escondidas com o Ministério da Educação e Ciência, no entanto, o sindicato “nunca obteve resposta à questão colocada de o Conselho Geral do Agrupamento de Escolas do Crato não ter sido consultado conforme a legislação estabelece”.
Correia da Luz afirmou ao SPZS que o sindicato irá ser recebido brevemente na Câmara.

 

 

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Redacção
Carregar mais artigos em Actual

Veja também

Combustíveis: Gasóleo e gasolina com descidas na próxima semana

Cada posto de abastecimento pode fazer o preço que entender, mas a tendência dos preços na…