A Guarda Nacional Republicana (GNR) registou 1.497 crimes de violência no namoro em todas as faixas etárias em 2023, mais 76 do que no ano anterior, segundo dados divulgados hoje pela força de segurança.

Em comunicado para assinalar o dia dos namorados, que se celebra hoje, a GNR indica ter registado, em 2023, na área da sua responsabilidade, 1.497 crimes de violência no namoro em todas as faixas etárias, especificando que 434 das vítimas estavam na faixa etária até aos 24 anos.

Em 2022 tinham sido registados 1.421 crimes de violência no namoro em todas as faixas etárias, 244 vítimas com idade até aos 24 anos.

A GNR está a desenvolver, a partir de hoje e até domingo, uma campanha de sensibilização e prevenção que visa incentivar todos os jovens a denunciar e a não aceitar qualquer tipo de violência psicológica, emocional, física, social ou sexual.

A campanha visa igualmente sensibilizar para a eliminação da violência e todas as formas de agressão existentes em relações de namoro, especialmente entre os jovens, onde estes comportamentos são precoces e mais facilmente evitados no futuro.

“É importante alertar os jovens para a importância das relações saudáveis, baseadas em princípios e valores tais como a autoestima, o respeito e a tolerância, que são pilares das relações de namoro, promovendo uma cultura anti-violência através de uma maior consciencialização”, refere a GNR.

Por isso, a guarda vai continuar a direcionar e a priorizar o policiamento comunitário para junto das escolas e para a educação e sensibilização dos mais jovens.

“Com o intuito de alterar comportamentos e evitar que a violência se prolongue no futuro, é intenção, com esta campanha, sensibilizar os jovens, para que digam não à violência e para que consigam travar este tipo de comportamentos quer para si próprios quer para os outros”, é sublinhado na nota.

De acordo com a GNR, o impacto deste tipo de violência em idades precoces pode ser a aceitação desta violência no futuro.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Redacção
Carregar mais artigos em Actual

Veja também

Portugal vai acabar por ter casos de dengue, mas vai demorar

já houve casos em Espanha - 10 casos entre 2016 a 2020 -, mas até ao momento não houve cas…