A seleção portuguesa de râguebi está ‘obrigada’ a vencer no sábado, em Bucareste, uma Roménia “teoricamente mais forte” para qualificar-se para as meias-finais do Rugby Europe Championship 2024 (REC24), considerou hoje o treinador João Mirra.
Esse é, no entanto, o único objetivo da equipa que viaja hoje para Bucareste, para o encontro da terceira e última jornada do Grupo B, consciente de que tem “muitas coisas para melhorar”, apesar do triunfo por 54-7 sobre a Polónia, no último sábado.
“Sabemos que podemos passar por dificuldades, mas temos equipa para competir e para ganhar. Não é porque ganhámos à Polónia que, de repente, somos a mesma equipa do Mundial. Deu-nos bons indicadores, a começar pela reação a um jogo muito mau na Bélgica, mas continuamos iguais e temos muito para melhorar”, apontou o treinador português em declarações à agência Lusa.
Uma vitória em Bucareste permitirá aos ‘lobos’ vencer o Grupo B, mesmo que a Roménia consiga um ponto de bónus defensivo, e disputar as meias-finais em casa, mas qualquer outro resultado deixa Portugal sujeito a ser ultrapassado pela Bélgica, que recebe a frágil seleção da Polónia.
Portugal só passa às meias-finais em segundo lugar se não vencer na Roménia e a Bélgica também não conseguir derrotar a Polónia, seleção que ainda não somou qualquer ponto no REC24.
Se não conseguir qualificar-se para as meias-finais, a seleção portuguesa será relegada para a disputa do quinto ao oitavo lugar, entre duas últimas classificadas de cada grupo.
Ainda assim, Portugal, que não vence na Roménia desde 2009, não vai abdicar de “seguir a linha de pensamento e de execução de lançar jogadores” para o ciclo de quatro anos que termina no Mundial de 2027, advertiu Mirra.
Pela frente estará uma Roménia que, apesar do ponto de bónus ofensivo conseguido frente à Bélgica, “também teve algumas dificuldades” e “mesmo contra a Polónia” não teve uma vitória “assim tão fácil”.
Os ‘carvalhos’ são atualmente orientados pelo francês David Gérard, técnico que foi adjunto de Patrice Lagisquet na seleção portuguesa durante o último ano, incluindo no Campeonato do Mundo de França2023, mas João Mirra não acredita que isso lhes confira qualquer vantagem.
“Não, até porque o nosso estilo é muito adaptável e muda durante os jogos. Se fosse um estilo assim tão fácil de anular, não teríamos sido tão competitivos no Mundial. É um dos estilos mais difíceis de anular porque está muito centrado na tomada de decisão individual”, analisou Mirra.
Já na equipa romena, “o mais difícil é anular a sua fisicalidade”, pelo que o treinador da equipa técnica liderada pelo consultor da World Rugby, Daniel Hourcade, acredita que a ‘chave’ para vencer em Bucareste “vai passar pela conquista nas fases estáticas” do jogo.
A seleção portuguesa de râguebi visita a Roménia no sábado, em encontro da terceira e última jornada do Grupo B do REC24 com início previsto para as 14:30 (hora de Lisboa), no Estádio Arcul de Triumf, em Bucareste, e arbitragem do georgiano Nika Amashukeli.
Portugal ocupa atualmente o segundo lugar do Grupo B, com seis pontos, a três da Roménia e com mais dois do que a Bélgica, após perder o primeiro encontro, no terreno dos belgas (10-6) e vencer no sábado a Polónia (54-7), que segue em último lugar, com zero pontos.
Os dois primeiros classificados dos Grupos A e B qualificam-se para as meias-finais, que se disputam, a uma mão, em casa do vencedor de cada grupo contra o segundo classificado da ‘poule’ oposta.
Em sentido contrário, os dois últimos de cada grupo disputam as meias-finais do apuramento do quito ao oitavo lugar em casa do terceiro classificado de cada grupo, que recebe o último classificado do grupo oposto.
O Rugby Europe Championship é o principal torneio europeu de seleções, com exceção do torneio das Seis Nações, que é uma competição privada.
O antigo torneio das ‘Seis Nações B’, disputado por oito seleções desde 2023, disputa-se anualmente e é considerado o Campeonato da Europa da modalidade.
Portugal venceu o torneio em 2004 e sagrou-se vice-campeão no ano passado, após perder a final, em Badajoz, frente à Geórgia (38-11), seleção que domina o historial da competição com 15 títulos em 21 edições.
 
SYL // NFO

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Redacção
Carregar mais artigos em Desporto

Veja também

Portugal vai acabar por ter casos de dengue, mas vai demorar

já houve casos em Espanha - 10 casos entre 2016 a 2020 -, mas até ao momento não houve cas…