A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE), na sequência de várias acções de fiscalização direccionadas para a cadeia de valor do azeite, apreendeu 510 litros de produtos falsificados, na margem Sul do Tejo e em Portalegre.

A ASAE indicou, em comunicado, que apreendeu também centenas de rótulos, uma viatura de mercadorias e diversa documentação probatória e indiciária, tudo avaliado num valor aproximado de 29.000 euros.

Foram ainda instaurados três processos-crime pelos ilícitos de fraude sobre mercadorias e géneros alimentícios anormais falsificados, adiantou o comunicado.

Segundo a entidade, foram realizadas 18 colheitas de amostras a todos os produtos oleicos detectados, as quais foram encaminhadas para o Laboratório de Segurança Alimentar da ASAE, para a realização das respectivas análises físico-químicas e sensoriais.

A ASAE, no âmbito da sua missão na protecção de produtos nacionais e de combate às práticas fraudulentas, realizou esta operação através da Unidade Regional do Sul – Unidade Operacional de Évora.

A acção decorreu “na sequência das diligências de investigação, várias acções de fiscalização e de inspecção direccionadas para a cadeia de valor do azeite, para identificar potenciais inconformidades sobre a autenticidade e qualidade do produto, e ainda práticas de concorrência desleal”, acrescentou a ASAE.

“Como resultado das acções, que decorreram na margem Sul do Tejo e nas imediações da cidade de Portalegre, foram inspeccionados diversos operadores económicos não sedentários, com ligações entre si”, adiantou.

No âmbito da acção foi “detectado em flagrante delito a comercialização de um produto com indicação de ‘azeite virgem’, com forte suspeita de se tratar de óleo alimentar, apresentando preços unitários por embalagem de cinco litros a rondar os 30 e 40 euros”.

Os suspeitos foram constituídos arguidos e sujeitos a termo de identidade e residência, tendo os factos sido comunicados à autoridade judiciária.

A ASAE alerta os consumidores para estarem atentos a ofertas deste produto com preço abaixo do expectável, induzindo o consumidor em erro com o objectivo de serem comercializadas outras substâncias oleicas como azeite.

TCA // RBF
Lusa

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Redacção
Carregar mais artigos em Actual

Veja também

Portugal vai acabar por ter casos de dengue, mas vai demorar

já houve casos em Espanha - 10 casos entre 2016 a 2020 -, mas até ao momento não houve cas…