O bispo de Portalegre-Castelo Branco anunciou que o resultado da renúncia quaresmal deste ano é destinado à Cáritas Diocesana e a um centro social que acolhe órfãos e crianças desfavorecidas na cidade de Moçâmedes, em Angola.
Em comunicado publicado na página da Internet da diocese de Portalegre-Castelo Branco, Antonino Dias convidou e desafiou os jovens da diocese “a viverem e a dinamizarem a vivência da Quaresma nas suas comunidades cristãs”.
“A esmola dada em verdadeiro espírito de caridade é um banco cuja traça não corrói, rende cem por cento neste mundo e abre portas na glória eterna”, afirmou o bispo de Portalegre-Castelo Branco.
Segundo Antonino Dias, este ano, metade das verbas angariadas na renúncia quaresmal da diocese revertem para o Fundo Social Diocesano, gerido pela Cáritas Diocesana, “e outra metade para um centro social que acolhe órfãos e crianças desfavorecidas na cidade de Moçâmedes, em Angola”.
Adiantou ainda que na diocese de Portalegre-Castelo Branco trabalha um sacerdote daquela diocese angolana.
O bispo explicou que no ano passado, a renúncia quaresmal reverteu para o Fundo Social Diocesano, num total de 15.508 euros.
No documento, Antonino Dias cita a mensagem do Papa para a Quaresma, onde recorda que “a usura e a avareza são uma doença do coração, um terrível faraó a escravizar quem se coloca a jeito”.
“A cura mexe com os bolsos, com a carteira. Implica a coragem de renunciar ao supérfluo e até ao que se gostaria de usufruir. Implica a conversão à partilha com os mais necessitados, nuns casos por dever de justiça, por dever de solidariedade noutros casos”, concluiu.

CCC // SSS
Lusa

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Redacção
Carregar mais artigos em Actual

Veja também

Portugal vai acabar por ter casos de dengue, mas vai demorar

já houve casos em Espanha - 10 casos entre 2016 a 2020 -, mas até ao momento não houve cas…