A Polícia de Segurança Pública registou, nos primeiros cinco meses de 2024, menos vítimas mortais, menos feridos graves e fez 3215 detenções por crimes rodoviários

O balanço da atividade desenvolvida entre 1 de Janeiro a 31 de Maio de 2024 foi divulgado hoje.

A infrações rodoviárias têm estado na mira da PSP. Na prossecução das suas competências de prevenção e fiscalização no contexto da segurança rodoviária, tem-se preocupado especialmente com as infrações rodoviárias e com os comportamentos que causam distração nos condutores, uma vez que estes fatores potenciam a sinistralidade com impacto direto no sentimento de (in)segurança dos condutores e demais utentes dos principais eixos rodoviários.

Os dados da sinistralidade rodoviária referentes aos primeiros 5 meses de 2024, em comparação com o período homólogo de 2023, revelam que, apesar do número de acidentes ter aumentado (+234), o número de vítimas mortais e de feridos graves diminuiu (-5 e -5, respetivamente).

Sinistralidade Rodoviária – Comparativo 2023/2024
AnoN.º de AcidentesVítimas MortaisFeridos GravesFeridos LevesN.º Total de Feridos
202322 4743628266466928
202422 7083127767377014

No que diz respeito à fiscalização rodoviária, de 1 de Janeiro a 31 de Maio de 2024, a PSP realizou, em todo o território nacional, 10 485 operações, tendo fiscalizado 294 203 condutores e controlado 1 086 243 viaturas por radar. No total foram registadas 80 419 contraordenações, o que equivale a uma média de mais de 16 000 infrações por mês.

Das infrações registadas destacam 13 301 por excesso de velocidade, o que corresponde a 16,5% do total das infrações.

 Foram efetuados 86 474 testes de alcoolemia, dos quais resultaram 1451 autos de contraordenação por condução sob o efeito do álcool. Destas infrações, 309 dizem respeito a condutores aos quais se aplica a taxa reduzida de álcool (condutores com carta de condução há menos de 3 anos ou condutores profissionais), o que corresponde a cerca de 21,3% das infrações registadas por condução sob o efeito do álcool.

Houve ainda 7822 infrações por falta de inspeção periódica obrigatória, 2497 por falta de seguro de responsabilidade civil, 2092 por uso do telemóvel durante a condução, 1074 por falta do uso do cinto de segurança e 446 por falta do uso de sistemas de retenção (cadeirinhas). 

No mesmo período foram ainda efetuadas 3215 detenções por crimes rodoviários, nomeadamente 1695 por condução sob o efeito do álcool e 1520 por condução sem habilitação legal.

Atualmente, o fator humano do comportamento é reconhecido como a condição mais relevante para a ocorrência da maioria dos acidentes de viação, seja por infração e/ou desrespeito pelas regras e sinais de trânsito, seja perante um acontecimento inesperado. Sendo os cenários urbanos altamente dinâmicos, com múltiplos utilizadores da rodovia em constante movimento, o comportamento dos condutores constitui fator fundamental para continuar esta tendência de diminuição da sinistralidade rodoviária.

Os apelos aos condutores

A PSP, como ator fundamental no sistema de prevenção rodoviária, apela a todos os condutores para que conduzam em segurança, adaptando a sua condução às condições meteorológicas e ao estado da via.

Alertamos para que não adotem comportamentos que possam diminuir as suas capacidades de condução, como conduzir em excesso de velocidade ou sob o efeito do álcool e/ou de substâncias psicotrópicas, ou que sejam suscetíveis de causarem distrações, como o uso do telemóvel durante a condução.

Relembramos todos os condutores que não devem conduzir em velocidade excessiva, especialmente na aproximação de passadeiras ou de zonas com grande fluxo de peões. Este fator impossibilita uma imobilização, em segurança, das viaturas, podendo originar um embate. Apelamos também a todos os condutores e passageiros que usem os elementos de segurança passiva – cintos de segurança, sistemas de retenção, capacetes. Apesar de não evitarem acidentes, reduzem o impacto e o risco de ferimentos e/ou sequelas em caso de colisão.

Por fim, relembramos que os comportamentos irresponsáveis na estrada não colocam em perigo apenas a vida de quem conduz, mas de todos os utentes da via, pelo que a segurança rodoviária depende de todos.

 Só com uma condução responsável e segura por parte de todos os utilizadores das rodovias será possível diminuir a sinistralidade.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Redacção
Carregar mais artigos em Actual

Veja também

Hospital de Évora com constrangimentos no Serviço de Urgência Polivalente

O hospital de Évora está com constrangimentos no funcionamento do Serviço de Urgência Poli…